O Grivo

O Grivo / Curriculum

O Grivo

Em fins de 1990 O Grivo realizou seu primeiro concerto em Belo Horizonte, iniciando suas pesquisas

no campo da “Música Nova”. Interessado na expansão do seu universo sonoro e na descoberta de

maneiras diferentes de organizar suas improvisações, o grupo vem desenvolvendo sua linguagem

musical. Em função da busca por “novos” sons e por possibilidades diferentes de orquestração e

montagem, O Grivo trabalha com a pesquisa de fontes sonoras acústicas e eletrônicas, com a

construção de “máquinas e mecanismos sonoros”, e com a utilização, não convencional, de instrumentos

musicais tradicionais.

Em consequência desta pesquisa, que leva ao contato com os objetos e materiais mais diversos,

cresce a importância das informações visuais e da sua organização nas montagens do grupo. A isto se

soma um diálogo, também ininterrupto, com o cinema, vídeo, teatro e a dança. Nas instalações /

concertos o espaço de fronteira e interseção entre as informações visuais e sonoras é o lugar onde

se constrói nossa experiência com conceitos como textura, organização espacial, sobreposição,

perspectiva, densidade, velocidade, repetição, fragmentação, etc.

A proposição de um estado de curiosidade e disposição contemplativa para a escuta e a discussão das

relações dos sons com o espaço são as idéias principais sobre as quais se apóiam os trabalhos do grupo.

o grivo

nelson soares

marcos moreira

década de 1990

nasceram em belo horizonte

vivem e trabalham em belo horizonte

 

principais trabalhos (concertos, instalações)

 

2015

Cine Theatro Brasil – exposição Habitáculo – Belo Horizonte Brasil

Bienal de Curitiba – Curitiba Brasil

Invento, as Revoluções que nos inventaram – Oca Ibirapuera – São Paulo Brasil 

Galeria Nara Roesler – São Paulo Brasil

As margens dos Mares – Sesc Pinheiros – São Paulo Brasil

Máquina Orquestra – Sesc Ipiranga – São Paulo Brasil

 

2014

Paço das Artes – Belo Horizonte Brasil

Objetos de Medida Palácio das Artes – Sala Genesco Murta – Belo Horizonte Brasil.

 

2013

30 anos – Videobrasil – SESC Pompeia – São Paulo Brasil

Reinventando o mundo – Museu Vale – Vila Velha Brasil

Artefatos de som – Oi Futuro – Belo Horizonte Brasil

 

2012
23º Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo – Museu da Imagem e do Som – São Paulo Brasil

Festival Multiplicidade – Rio de Janeiro – Brasil

2011

Estación experimental – Universidad Laboral – Gijón Espanha

8ª Bienal do Mercosul – Porto Alegre Brasil

 

2010

O Grivo – Galeria Nara Roesler – São Paulo Brasil

11 Edição – Festival Eletronika – Belo Horizonte Brasil

2009

Museu de Arte da Pampulha – Belo Horizonte Brasil
Galeria Nara Roesler – São Paulo Brasil
Shusssssh (em colaboração com Valeska Soares) – 9 Sharjah Biennial – Sharjah – Emirados Árabes Unidos


2008

28ª Bienal Internacional de São Paulo – Pavilhão Ciccillo Matarazzo – Fundação Bienal de São Paulo – São Paulo Brasil
It´s rainning out there (em colaboração com Rivane Neuenschwander) – South London Gallery – Londres Inglaterra


2007

Hidalgo cautivará tus sentidos – Sesc Avenida Paulista – São Paulo Brasil

2006

Orquestra Sinfônica de Minas Gerais interpreta O Grivo – Belo Horizonte Brasil
Com os pés um pouco fora do chão – Festival Música Fora de Foco – Belo Horizonte Brasil


2005

Música precária – Année du Brésil en France – Paris França


2005

Quem vem lá sou eu (em colaboração com Rivane Neuenschwander) – Martin Klosterfeld Gallery – Berlim Alemanha


2004

Hype – Sesc Pompéia – São Paulo Brasil


2000

Propriocepção – Teatro Helena Sá -Porto Portugal

 

 

cds e dvds


2005

O Grivo


2003

Música para dança
Música precária


2002

Com os pés um pouco fora do chão


2001

Retrocesso

principais prêmios
Prêmio Especial do Júri, 25º Salão de Arte de Belo Horizonte, Belo Horizonte, Brasil
4º Prêmio Cultural Sergio Motta, Instituto Sergio Motta, São Paulo, Brasil
Sound Art Work, Formations, dLux Media Arts, Sydney, Austrália

2013 – 46º edição do Festival de Cinema de Brasília 

Melhor trilha sonora por Fernando que ganhou um pássaro do mar 

2012 – 45º edição do Festival de Cinema de Brasília 

Melhor trilha sonora e edição de som por Otto

2005 – 9º CinePE – Recife

Melhor trilha sonora e edição de som por Aboio

1999 – 3º Festival de Cinema de Recife

Melhor trilha sonora e edição de som por Otto “eu sou um outro”